UOL Pan 2011 Atleta brasileira do tiro fica "surda" com auto-hipnose na concentração - 23/10/2011 - UOL Pan 2011
  • http://pan.uol.com.br/2011/ultimas-noticias/2011/10/23/atleta-brasileira-do-tiro-fica-surda-com-auto-hipnose-na-concentracao.htm
  • Atleta brasileira do tiro fica "surda" com auto-hipnose na concentração
  • 30/07/2014
  • UOL Esporte - Pan 2011
  • Pan 2011
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
23/10/2011 - 14h00

Atleta brasileira do tiro fica "surda" com auto-hipnose na concentração

Alexandre Sinato e Gustavo Franceschini
Em Guadalajara (MEX)

A importância da concentração para o tiro esportivo é ressaltada a todo momento pelos atletas do esporte. Rosane Ewald leva o assunto ainda mais a sério do que o normal. A atleta é adepta da auto-hipnose, e diz ficar praticamente surda pouco antes de cada competição.

“Toda noite faço a prova mentalmente e repito frases positivas, que evitam que eu pense em coisas ruins durante a prova. Na hora, sento e respiro com calma, para abaixar a pressão. Aí pode cair o mundo do meu lado que eu não presto atenção. Se o juiz quer falar comigo, por exemplo, ele tem de me cutucar, senão eu não ouço ele falando do meu lado”, disse Rosane, que também carrega consigo um papel com a imagem da medalha pan-americana e as frases em questão.

Em Guadalajara, no entanto, a técnica não funcionou. Rosane ficou na 21ª colocação entre as 24 competidoras da carabina de três posições e sequer foi à final. “Fiquei muito abaixo da minha média. Hoje o vento me atrapalhou. No Brasil não treinamos com vento, e aqui também fiz vários treinos e nunca com o vento. Me estrepei”, disse a brasileira.

SUPER-MÃE, ROSANE É UMA DAS FÁBULAS DO PAN-2011

Mesmo diante do resultado negativo, Rosane segue defendendo a técnica, que aprendeu com o técnico Silvio Aguiar há quatro anos. “Comecei a treinar com ele e quebrei meu primeiro recorde brasileiro usando a auto-hipnose. Muitos atletas são descrentes. A técnica é motivo de piada até entre os brasileiros, mas eu confio, porque para mim faz diferença”, avaliou.

Qualquer barulho da torcida, por exemplo, pode afetar o desempenho. Em sua prova no Pan, disputada no último sábado, ela diz ter “desligado” após ouvir cliques da máquina de um fotógrafo. “Faltavam só uns quatro tiros e eu sabia que eu estava mal. Mesmo assim eu parei e fiquei alguns segundos respirando para retomar a concentração, porque eu desliguei totalmente com o barulhinho”, concluiu Rosane. 

O problema não é só dela. Júlio Almeida estava perto de um ouro em sua prova, mas acabou se distraindo e caindo de lugar no pódio. "Você tenta não pensar em nada. Eu, algumas vezes, já pensei na namorada, na praia. Tenta ficar sem pensar em nada e você vê como é difícil. Uma vez, num campeonato, comecei atirando muito bem e pensei: acho que vou ganhar o ouro. Depois disso, não consegui mais atirar bem e fui mal na classificação", disse Júlio, que terminou o Pan com dois bronzes. 

Medalhas

  • País
    Ouro
    Prata
    Bronze
    Total
    EUA 92 79 65 236
    CUB 58 35 43 136
    BRA 48 35 58 141

Atletas Brasileiros

  • Veja o perfil dos atletas brasileiros