UOL Pan 2011 Luciano Correa acaba com maldição e é ouro em Guadalajara - 26/10/2011 - UOL Pan 2011
  • http://pan.uol.com.br/2011/ultimas-noticias/2011/10/26/luciano-correa-acaba-com-maldicao-e-e-ouro-em-guadalajara.htm
  • Luciano Correa acaba com maldição e é ouro em Guadalajara
  • 26/09/2021
  • UOL Esporte - Pan 2011
  • Pan 2011
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
Luciano Correa conquista a medalha de ouro na categoria meio-pesado do judô no Pan

Luciano Correa conquista a medalha de ouro na categoria meio-pesado do judô no Pan

26/10/2011 - 20h49

Luciano Correa acaba com maldição e é ouro em Guadalajara

Bruno Doro
Em Guadalajara (México)

O brasileiro Luciano Correa é campeão mundial. O cubano Oreydis Despaigne tem, como principal conquista, dois bronzes na mesma competição. Mesmo assim, foi o caribenho, e não o sul-americano, quem entrou em vantagem no confronto. Luciano, porém, foi quem saiu com a medalha de ouro da categoria até 100 kg do judô.

Pela primeira vez em três lutas pelo circuito mundial, o brasileiro venceu o cubano. Foi a vingança da derrota pelo Campeonato Pan-Americano de 2003. Há quatro anos, Luciano foi bronze e Despaigne, ouro.

Brasileiros no décimo segundo dia do Pan de Guadalajara
Brasileiros no décimo segundo dia do Pan de Guadalajara

Além disso, a medalha mostra recuperação de Luciano após os problemas desde fevereiro. Na Copa do Mundo da Hungria, ele lesionou o ombro e teve de se submeter a uma operação. “Foi traumático, tive de fazer uma cirurgia mas me recuperei. Voltei na Copa de São Paulo e, de lá para cá, estou me sentindo muito bem, voltando aos bons resultados”, disse o lutador.

RAFAEL SILVA PERDE E FICA COM A PRATA

  • Jefferson Bernardes/VIPCOMM

    O pesado Rafael Silva fez uma opção ao aceitar disputar os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Ao invés de melhorar sua posição no ranking olímpico para Londres-2012, foi ao México tentar uma medalha. A troca valeu a medalha de prata.

Foi a segunda medalha do Brasil no judô masculino pan-americano. Antes, Rafael Silva disputou a final dos pesados e ficou com a medalha de prata ao perder para o cubano Oscar Brayson.

Os dois medalhistas, aliás, estão em situação parecida na briga por uma vaga em Londres. Rafael e Daniel Hernandez disputam ponto a ponto quem será o brasileiro nas Olimpíadas. Hoje, Rafael tem 678 contra 652 de Daniel. Já Luciano tem 520 contra 512 ponto de Léo Leite, seu rival. No período da preparação para o Pan, três eventos para o ranking mundial foram realizados. 

Após a torcida à distância da nadadora Joanna Maranhão, sua namorada, Luciano Correa a citou como incentivadora para a conquista do ouro e agradeceu. "Minha namorada Joanna Maranhão, um beijão, eu te amo", disse à TV Record o judoca. “Ela conseguiu bons resultados aqui, conseguiu três medalhas e não pôde ficar aqui porque tinha que treinar. Mas deu tudo certo”, completou.

“Foi uma luta muito técnica, era o que a gente esperava. Temos um jeito de lutar muito parecido, então era preciso ter sempre muito cuidado. No final, eu fiquei apreensivo. Na minha luta contra o norte-americano, que foi a mais difícil da manhã, levei um shido (punição) que não entendi, então achei que poderia acontecer a mesma coisa”, explicou o judoca.

O técnico brasileiro Luiz Shinohara avaliou as lutas de Luciano Correa, que ficou com o ouro, e de Baby, que foi prata, como parecidas estrategicamente.

“Foram duas lutas (de Luciano e Baby) muito parecidas, em que a tática era muito importante. Com o Rafael, as punições definiram e acho que ele poderia ter se movimentado um pouco mais. Na do Luciano, foi exatamente o que esperávamos e, no final, a vitória vai para quem quer mais”, avaliou Shinohara.

Bronze de Suelen mantém Brasil sem ouros nos pesados

Na outra categoria em disputa desta quarta, Maria Suelen Altheman manteve um tabu histórico para o Brasil. Na categoria pesado feminino, o país nunca formou uma campeã de Jogos Pan-Americanos.

Suelen foi bronze após perder, na semifinal, para a porto-riquenha Melissa Mojica. Na disputa pelo bronze, a vitória foi sobre a norte-americana Molly O’Rourke.

Antes de Suelen, o Brasil tem outras cinco medalhas nos pesados feminino: Priscila Marques (bronze em 1999 e 2007), Rosimere Salvador (bronze em 1987) e Edilene Andrade (prata em 1995 e bronze em 1991).

Medalhas

  • País
    Ouro
    Prata
    Bronze
    Total
    EUA 92 79 65 236
    CUB 58 35 43 136
    BRA 48 35 58 141

Atletas Brasileiros

  • Veja o perfil dos atletas brasileiros