UOL Pan 2011 Thiago Pereira se aproxima de Cielo, deixa preguiça de lado e ajuda Brasil a bater recorde - 23/10/2011 - UOL Pan 2011
  • http://pan.uol.com.br/2011/ultimas-noticias/2011/10/23/thiago-pereira-se-aproxima-de-cielo-deixa-preguica-de-lado-e-ajuda-brasil-a-bater-recorde.htm
  • Thiago Pereira se aproxima de Cielo, deixa preguiça de lado e ajuda Brasil a bater recorde
  • 16/09/2014
  • UOL Esporte - Pan 2011
  • Pan 2011
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
Thiago Pereira e Cesar Cielo mostram as medalhas de ouro conquistadas no Pan-2011

Thiago Pereira e Cesar Cielo mostram as medalhas de ouro conquistadas no Pan-2011

23/10/2011 - 12h20

Thiago Pereira se aproxima de Cielo, deixa preguiça de lado e ajuda Brasil a bater recorde

Roberta Nomura
Em Guadalajara (México)

Os dois principais nomes da natação brasileira estreitaram laços há cerca de dois meses. Thiago Pereira se aproximou de Cesar Cielo ao integrar o P.R.O. 16 (Projeto Rumo ao Ouro em 2016), encabeçado pelo campeão olímpico. Lá, o multicampeão pan-americano deixou a preguiça de lado e hábitos viciados para entrar na pilha do, agora, amigo. O primeiro grande teste ocorreu em terras mexicanas e os dois lideraram o Brasil nas águas para superar o desempenho do Rio-2007.

A delegação brasileira chegou ao México receosa em falar em bater o recorde de quatro anos atrás por dois motivos: a altitude de 1.500 m e o fator casa. Longe da torcida, porém, a equipe verde-amarela se saiu muito bem e totalizou dez ouros, oito pratas e seis bronzes – contra dez ouros, seis pratas e oito bronzes obtidos no Rio-2007. E dois dos grandes responsáveis por isso estreitaram a amizade recentemente.

Thiago Pereira permanecerá com base radicada nos Estados Unidos até a Olimpíada de Londres-2012. Mas os períodos que passa no Brasil são vividos ao lado de Cesar Cielo. A convivência de cerca de dois meses já surtiu efeito. “O Thiago chegou para treinar com a gente com alguns detalhes que estavam viciados, preguiçosos. Estava um pouquinho difícil vê-lo fazer certos errinhos e deixar passar. O Nicholas [Santos] também é assim. Quando a gente pega para fazer trabalho de técnica, de correção, o Nicholas é um cara que confio muito. E a gente deu bastante toque no Thiago, acho que isso acabou melhorando a nossa relação”, contou o campeão olímpico.

POLIANA REPETE PRATA, MAS MARATONA AQUÁTICA PIORA DESEMPENHO EM 2011

  • Juan Barreto/AFP

    No Pan do Rio-2007, o Brasil subiu ao pódio nas maratonas aquáticas feminina e masculina. Quatro anos depois, Poliana Okimoto (foto) conseguiu repetir o desempenho anterior e faturou a prata. Mas o país não medalhou no masculino em Guadalajara - em 2007 Allan do Carmo havia ficado com a prata.

Thiago Pereira repetiu o desempenho do Pan do Rio-2007 com seis ouros, uma prata e um bronze. Mas também estava receoso em relação a performance. “Na época eu tinha 21 anos. Agora já estou mais velho, com 25. E tudo fica mais difícil. Aqui ainda tem o fator altitude, que retarda a recuperação”, explicou ele, após uma de suas oito provas disputadas. E para igualar o feito de quatro anos e ainda superar Hugo Hoyama no número de ouros em Pans – o mesatenista tem dez e o nadador soma 12 – o atleta fluminense precisou da ajuda dos ‘novos amigos’.

Em dois revezamentos, Thiago Pereira nadou apenas a eliminatória. No 4x100 m medley, a decisão foi tomada porque ele disputou os 200 m costas imediatamente antes da prova por equipes. Mas a medalha mais fácil do maior vencedor brasileiro em Pans veio nos 4x100 m livre. No dia, Thiago Pereira só tinha essa disputa e não compõe o time titular brasileiro. “Ele nadou a eliminatória se arrastando, achei que ele não ia chegar”, brincou Nicholas Santos, para depois emendar: “Ele está nadando super bem, vai conseguir todas as medalhas”, apostou. E, de fato, ele conseguiu.

Thiago Pereira foi o responsável por um terço das medalhas brasileiras, assim como ocorreu no Rio-2007. Há quatro anos, ele ofuscou Cesar Cielo. Agora, dividiu o status de estrela com o amigo. O campeão olímpico e mundial terminou a competição com 100% de aproveitamento: ouro nos 50 m e 100 m livre e nos revezamentos 4x100 m livre e 4x100 m medley. Foi também o xodó da torcida e o colírio da mulherada que compareceu ao Parque Aquático.

CONFIRA AS 24 MEDALHAS CONQUISTADAS PELO BRASIL NAS PISCINAS DO PAN

OURO (10) PRATA (8) BRONZE (6)
50 m livre (Cesar Cielo)
100 m costas (Thiago Pereira)
100 m livre (Cesar Cielo)
100 m peito (Felipe França)
200 m borboleta (Leo de Deus)
200 m costas (Thiago Pereira)
200 m medley (Thiago Pereira)
400 m medley (Thiago Pereira)
4x100 m livre (masculino)
4x100 m medley (masculino)
50 m livre (Bruno Fratus)
50 m livre (Graciele Herrmann)
100 m borboleta (Daynara de Paula)
100 m peito (Felipe Lima)
400 m medley (Joanna Maranhão)
4x100 m livre (feminino)
4x200 m livre (feminino)
4x200 m livre (masculino)
100 m costas (Guilherme Guido)
200 m borboleta (Kaio Márcio)
200 m peito (Thiago Pereira)
200 m medley (Joanna Maranhão)
200 m medley (Henrique Rodrigues)
4x100 m medley (feminino)

Medalhas

  • País
    Ouro
    Prata
    Bronze
    Total
    EUA 92 79 65 236
    CUB 58 35 43 136
    BRA 48 35 58 141

Atletas Brasileiros

  • Veja o perfil dos atletas brasileiros